O cabeleireiro parou a moto recém-comprada no estacionamento de um shopping e foi trabalhar. No meio do expediente, recebeu um chamado: a moto havia sido furtada. Ele decidiu procurar a Patrulha do Consumidor porque não concordou com o valor que seria pago pelo seguro, nem conseguiu ser reembolsado pelos gastos que teve após o furto. Celso Russomanno entrou no caso, que teve um ótimo desfecho para o consumidor.

Nosso Whatsapp: https://cidadealerta.r7.com/whatsapp
Inscreva-se no canal Cidade Alerta: http://r7.com/0Fhv
Assista às íntegras no PlayPlus: https://www.playplus.com
Facebook: https://www.facebook.com/CidadeAlertaRecord/
Instagram: https://www.instagram.com/cidadealerta/
Twitter: https://twitter.com/cidadealerta
Site oficial: https://recordtv.r7.com/cidade-alerta

#CidadeAlerta #LuizBacci #PatrulhadoConsumidor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.