1 de 1 Cena da série Bridgerton, uma das estrelas da programação do Netflix — Foto: Divulgação/Neflix

Cena da série Bridgerton, uma das estrelas da programação do Netflix — Foto: Divulgação/Neflix

A Netflix reportou uma perda de 200 mil assinantes entre janeiro e março. É a primeira vez que a gigante do streaming tem resultado negativo nesse quesito desde 2011, em balanços trimestrais, segundo a agência Bloomberg.

A região da Ásia e países do Pacífico (APAC) foi a única onde a registrar aumento de assinantes no período. A base global de assinantes se manteve na casa dos 221 milhões, mas a companhia projeta que perderá mais 2 milhões de clientes no segundo trimestre.

Em carta aos acionistas, a empresa disse que a pandemia de Covid atrapalhou as previsões porque houve um aumento significante na receita em 2020, fazendo com que a maior parte do crescimento lento em 2021 fosse entendida como um efeito rebote daquela aceleração.

A Netflix destacou o aumento da competição no segmento e apontou que tem perdido oportunidades de aumentar o número de pagantes por conta de senhas compartilhadas. A empresa estima que 100 milhões de usuários desfrutam de senhas compartilhadas em todo o mundo.

No mês passado, ela já havia anunciado uma medida para coibir essa prática: a cobrança de uma taxa extra começaria a ser testada no Chile, na Costa Rica e no Peru.

Newsletter G1 Created with Sketch.

O que aconteceu hoje, diretamente no seu e-mail

As notícias que você não pode perder diretamente no seu e-mail. Para se inscrever, entre ou crie uma Conta Globo gratuita.

Obrigado!

Você acaba de se inscrever na newsletter Resumo do dia.