A fraude de varejo online é um problema que cresce rapidamente, com maus atores tentando roubar dados de clientes, fundos corporativos e mercadorias diariamente. Para combaterem isso, muitos mercados de comércio eletrônico utilizam protocolos de identidade digital, como a autenticação multifator (MFA), que possui um impressionante histórico de prevenção de fraudes, mas apresenta suas próprias desvantagens.

Um estudo recente descobriu que mais de 17% de todas as transações globais de comércio eletrônico durante a temporada de compras de fim de ano de 2021 foram fraudulentas, um aumento de 25% em relação ao resto do ano. Esse salto representou um exemplo microcósmico de tendências de fraude em todo o mundo durante os últimos anos, com mais compras online resultando em mais pontos de entrada para fraudes.

Os comerciantes estão lutando para proteger a si mesmos e seus clientes contra fraudes, não apenas para evitar dados e fundos roubados, mas também para preservar a fidelidade do cliente e evitar o abandono devido à fraqueza percebida na segurança cibernética.

Como a fraude afeta os eTailers

Os fraudadores usam uma variedade impressionante de táticas contra os comerciantes de comércio eletrônico, mas o que parece mais preocupar os profissionais de prevenção de fraudes é o roubo de identidade. Uma pesquisa recente descobriu que o roubo de identidade é a preocupação de fraude mais comum dos comerciantes, citada por 71% dos entrevistados.

Atores mal intencionados que cometem fraude de identidade exploram sites de comércio eletrônico, roubando identidades de clientes e, em seguida, aproveitam essas identidades roubadas para fazer compras ilícitas, geralmente implantando páginas de checkout falsas que podem coletar endereços de e-mail e informações de pagamento dos clientes.

Quando as empresas têm dificuldades em autenticar clientes, isso pode agravar essa fraude. Metade de todas as empresas de comércio eletrônico nos EUA relatam problemas de autenticação clientes em navegadores e 58% lutam para verificar usuários móveis, mesmo quando usam sistemas que incorporam inteligência artificial ou aprendizado de máquina.

O impacto da fraude digital não se limita ao roubo de fundos e dados, pois também pode ter ramificações de longo prazo para a fidelidade do cliente. É provável que os clientes abandonem totalmente os eTailers após sofrerem roubo de dados ou fraude. De fato, 65% dos consumidores em um estudo recente da PYMNTS disseram que teriam “pouca” ou “nenhuma” probabilidade de continuar usando os comerciantes depois de terem seus dados roubados. Oitenta por cento dos baby boomers e idosos foram os mais propensos a abandonar os comerciantes após um incidente de segurança.

Essa disposição de trocar de comerciante após incidentes de segurança pode aumentar, pois 48% dos compradores de comércio eletrônico disseram estar mais preocupados com a segurança dos dados agora do que antes do início da pandemia. Trinta e seis por cento dos consumidores já baseiam sua escolha de método de pagamento na probabilidade de roubo, e esse número não mostra sinais de declínio.

Protocolos robustos de identidade digital são algumas das maneiras mais eficazes para os comerciantes de comércio eletrônico impedirem fraudes e manterem a fidelidade do cliente.

Implementação da Identidade Digital

Um dos métodos mais eficazes para prevenir fraudes de identidade é a MFA, que funciona exigindo mais de um detalhe de identificação ao fazer login ou fazer uma compra. A regra geral para uma MFA efetiva é fornecer verificação por “algo que você sabe, algo que você tem e algo que você é”, representando, por exemplo, uma senha, um código SMS enviado aos clientes e um identificador biométrico, respectivamente. O sistema MFA típico requer dois desses fatores, e estudos descobriram que a MFA pode  impedir mais de 99,9% dos ataques que dependem de credenciais roubadas.

No entanto, existem algumas desvantagens potenciais da implementação da MFA. Os clientes naturalmente desejam o método de login mais simples possível, e a MFA exige uma etapa extra que pode adicionar atrito. Estudos descobriram que muitos consumidores recusam essa etapa extra se for opcional, mesmo escolhendo um eTailer diferente se enfrentarem muito atrito no checkout. Os clientes também expressaram preocupações com a privacidade de dados ao fornecer às grandes empresas seus números de celular pessoais ou vincular seus dados a seus smartphones, pois a perda de um dispositivo significa a perda da capacidade de verificar a identidade.

A taxa de eficácia da MFA fala por si, no entanto, e as economias na prevenção de violações de dados, compras fraudulentas e perda de fidelidade do cliente podem mais do que compensar qualquer hesitação do cliente. A proliferação da MFA em outros ambientes, como locais de trabalho, está trazendo cada vez mais clientes para o rebanho todos os dias, e os eTailers podem ver essa hesitação desaparecer à medida que a MFA se torna mais popular.

Leia também: Identificação com Certificado Digital é a solução para combater fraudes

Fonte: PYMNTS