A Nielsen apresenta a pesquisa Comunidade LGBTQIA+: o que está em foco?, que revela tendências, desafios e oportunidades para este perfil consumidor. Segundo o estudo, a maior parte dos consumidores LGBTQIA+ (76%) é a que mais realiza compras online e recorre ao uso de smartphone para efetivar suas novas aquisições. Este índice cai para 70% na população em geral. Quando consideradas compras em lojas físicas, as preferências do público em geral são de produtos de limpeza (63%), bebidas não alcoólicas (55%) e medicamentos (53%).

Leia também: Google anuncia investimento de US$ 1,2 bilhão na América Latina

Em sua segunda edição, o estudo tem como objetivo estimular a inclusão e promover a diversidade ao abordar questões sociais e revelar hábitos de consumo de mídia deste grupo e da população em geral. Por meio de insights exclusivos, retrata o comportamento da comunidade LGBTQIA+ em diversas frentes, o que permite orientar as estratégias de mercado das empresas e influenciadores no sentido de fomentar um cenário de mídia mais inclusivo e representativo.

Relatório da Nielsen analisou o público LGBTQIA+ em setores como mídia digital, varejo, e-commerce, streaming e serviços.

Realizado entre os dias 3 de fevereiro e 10 de abril deste ano, o levantamento utilizou questionário online para 602 pessoas de todo o país — sendo 50% dos entrevistados membros da comunidade LGBTQIA+. Como parâmetro, analisou setores como mídia digital, varejo, e-commerce, streaming e serviços. Além disso, retratou os comportamentos de consumo, presença no ambiente online, opinião sobre influenciadores e representatividade em propagandas.

Grande presença nas redes sociais

Segundo o relatório da Nielsen, o público LGBTQIA+ fica mais tempo conectado no Instagram e no Twitter do que a média semanal da população. Os dados revelam que membros da comunidade LGBTQIA+ dedicam, em média, 2,22 horas ao Instagram, mais que os dados gerais (1,73). Além disso, aponta que os usuários do Instagram são prioritariamente jovens (18-44 anos).

Leia também: Em um dia, Meesho, e-commerce da Índia, recebeu mais de 60 pedidos por segundo

As mulheres (LGBTQIA+ e população geral), neste caso, utilizam mais que os homens, principalmente para acompanhar: família e amigos (64%), memes e vídeos engraçados (58%) e influenciadores (58%). Em relação ao Twitter, a comunidade passa em média 0,88 horas na rede social, enquanto a população em geral dedica apenas 0,59 horas.

Necessidade de inclusão na mídia e conteúdo das marcas

Uma das perguntas apresentadas era sobre como a inclusão pode ser ampliada em conteúdos e propagandas de marcas. Para 52% dos entrevistados, é preciso evitar estereótipos nas publicidades e programas. Por outro lado, 47% acreditam no envolvimento da comunidade LGBTQIA+ neste quesito. Também 47% dos participantes da pesquisa defendem que a inclusão deste grupo populacional deve estar enraizada em todas as áreas de uma empresa, não apenas na publicidade e programação.

Liderança no consumo de streaming e de notícias

Grande disseminador de tendências, o público LGBTQIA+ é um dos que mais consomem conteúdo da TV paga e aberta. Dentre os itens mais acessados, destaque para as maratonas de séries por streaming. A Netflix é a plataforma favorita de 90% dos entrevistados, sendo que 86% deles afirmaram assistir séries. Já no YouTube, 79% dos consultados dizem que a principal atividade é a música. Quando o assunto é notícia, a preferência de 72% é a TV, seja paga ou aberta.

Compromisso com a responsabilidade social como fator determinante para acompanhamento de influenciadores

Quando questionados sobre o tempo que dedicam semanalmente com influenciadores, o público em geral investe cerca de uma hora a mais em relação a público LGBTQIA+. A média, neste caso, é de 4.5 horas e 3.5 horas, respectivamente. No entanto, a preocupação com a responsabilidade social é fator determinante para comunidade LGBTQIA+. Afinal, para 29% dos entrevistados, o compromisso com o tema é essencial para acompanhar um influenciador. Entre a população em geral, este número cai para 25%.

Serviço

Esses e outros dados serão apresentados durante o webinar “Comunidade LGBTQIA+: o que está em foco?”, promovido pela Nielsen Brasil. O evento será no dia 22 de junho, a partir das 10h. Para participar basta se inscrever neste link.

Leia também: Segundo levantamento, apenas 24% dos comentários sobre o Metaverso são positivos