A maior facção de São Paulo teria contratado um grupo de extermínio para matar o promotor que investigava os integrantes do grupo. Os serviços de inteligência do Paraguai e dos Estados Unidos suspeitam que além da facção brasileira, outros grupos criminosos e até de extermínio participaram do plano de execução do promotor paraguaio Marcelo Pecci. Ele foi morto com três tiros enquanto passava a lua de mel com a mulher na Ilha de Baru, em Cartagena, na Colômbia. Um dos cinco presos pelo assassinato confessou que foi contratado pela facção paulista e recebeu US$120 mil pelo crime.

Nosso Whatsapp: https://cidadealerta.r7.com/whatsapp
Inscreva-se no canal Cidade Alerta: http://r7.com/0Fhv
Assista às íntegras no PlayPlus: https://www.playplus.com
Facebook: https://www.facebook.com/CidadeAlertaRecord/
Instagram: https://www.instagram.com/cidadealerta/
Twitter: https://twitter.com/cidadealerta
Site oficial: https://recordtv.r7.com/cidade-alerta

#CidadeAlerta #LuizBacci

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.