Existem no mercado vários tipos de plataforma de e-commerce que nos ajudam a criar uma loja virtual. Conheça alguns itens de suma importância antes de criar, de fato, a sua loja virtual.

Conheça alguns itens de suma importância em um implementador de e-commerce antes de criar, de fato, a sua loja virtual.

Principais pontos para implantar seu e-commerce

Criar um e-commerce não é tão fácil assim. Não basta apenas escolher uma plataforma e logo em seguida elaborar o catálogo dos produtos/serviços. Há uma série de etapas que devem ser adotadas para que o seu negócio de vendas tenha sucesso. Confira, abaixo, os principais pontos que merecem destaque.

Estudo de mercado

Estudar o mercado em que pretende inserir-se é essencial, pois é a base para um planejamento eficaz. Isso significa que, na pesquisa de mercado, é preciso analisar: o público-alvo e o perfil para quem almeja-se vender nossos produtos; os fornecedores tanto de tecnologia quanto de produtos/serviços; bem como dimensionar o mercado analisando preço e praça e se atentar às novas tendências e promoções de mercado; e, é claro, observar os concorrentes, com os seus pontos fortes e fracos.

Escolha da plataforma

Após elaborar todo o planejamento de estudo de mercado, chegou a hora de definir a plataforma. Nesse caso, é necessário verificar qual delas mais se encaixa no seu modelo de negócios. Entretanto, há outros motivos para a escolha, como: preço, recursos disponíveis, facilidade em administrar sozinho (não necessitando de uma equipe ou agência, se for o seu caso) etc.

Segurança

Investir em segurança é extremamente importante, senão vital, para o sucesso do negócio (seja ele física ou virtual), pois podem ocorrer roubos de dados, tanto da empresa quanto dos seus clientes.

Como sabemos que na internet todas as nossas informações ficam vulneráveis, devemos observar quais tipos de plataforma de e-commerce se atentam a esse detalhe e como tais plataformas trabalham para evitar que essas situações ocorram. Ao contratar uma agência, deve-se ter o conhecimento de como ela trabalha na questão de processos antifraudes e segurança da informação.

Formas de pagamento

Escolher a forma de pagamento é tão importante quanto as outras etapas. Afinal, é o principal objetivo do e-commerce: vender, a fim de gerar receita. Pensar em métodos de pagamento diversificados pode fazer com que o seu consumidor escolha comprar na sua loja em vez de na do concorrente.

Boleto parcelado, pagar com dois cartões e Pix são funcionalidades a serem levadas em consideração. Atualmente, existem duas formas de estruturar o pagamento nas plataformas: por meio da contratação de intermediadores de pagamento e por gateway.

No primeiro caso, são contratadas empresas terceirizadas para fazer esse intermédio entre a loja e o cliente. Já no segundo caso, a própria plataforma escolhida já nos dá essa opção, ou seja, as soluções de pagamento já estão integradas ou, também, é possível realizar outras integrações.

Integração dos sistemas

Outro item de extrema importância é integrar sistemas, pois são muitos softwares trabalhando juntos, cada um com seus códigos diferenciados. Então, para que não haja conflito entre eles e tudo funcione perfeitamente, é preciso investir na integração.

Plataformas de e-commerce, ERP, CRM, antifraude, gateway de frete, intermediadores e gateway de pagamentos e automação de marketing são algumas das ferramentas trabalhadas em conjunto. A duplicação de dados é um exemplo de problema que pode ocorrer, caso não seja feita uma perfeita integração desses sistemas.

Pode-se fazer a integração por meio de API ou webservice (as duas possuem o mesmo objetivo, que é fazer com que todos os programas “conversem entre si”). Esse processo pode ser feito de maneira nativa, integrando um ERP com uma plataforma, ou por meio de um integrador (há diversas empresas que fazem esse serviço).

A principal diferença, no entanto, entre uma integração nativa e uma feita por meio de integrador são os gastos financeiro e de tempo. No primeiro caso, não é preciso contratar um novo serviço para isso.

Contratar uma agência

Não menos importante que os outros itens, contratar uma agência ou empresa de desenvolvimento e tecnologia seria o principal quesito para se montar um e-commerce. Entretanto, sabemos que, ao iniciar no ramo de vendas, muitas vezes, não há capital suficiente para esses investimentos.

Por que contar com ajuda para implementar seu e-commerce?

Não tem nenhum problema em implementar um e-commerce sozinho. Afinal, há muitas plataformas disponíveis no mercado que são fáceis de serem manuseadas, com uma interface clean, intuitiva e “free”. Entretanto, contratar uma agência para administrar seu e-commerce vai muito além de “não ter que se preocupar com nada”.

Contratar uma empresa de desenvolvimento ou agência, além de montar a sua loja virtual, no geral, irá trabalhar com a implementação, desenvolvimento, UX e UI Design e sustentação do projeto como um todo. Afinal, um e-commerce é um ecossistema vivo e está em constante evolução.

Personalização

Personalizar o seu e-commerce é dar identidade a ele, seja com nome, logo, paleta de cores utilizada etc. Tudo isso é possível graças às plataformas disponíveis no mercado, que também fornecem layouts pré-prontos ou permitem a criação de um do zero (contratando uma agência para isso, ou fazendo sozinho, caso tenha domínio do trabalho).

Contratar uma agência, além de fazer toda essa personalização, adequando a sua loja às suas necessidades e aos requisitos específicos inerentes ao negócio, também dará um “ar de profissionalismo”, passando confiança para os compradores.

Suporte

Outro item extremamente importante é verificar que tipo de suporte a plataforma de e-commerce fornece, caso o pequeno empreendedor queira criá-la sozinha. Observe, antes de contratar a plataforma, como os suportes são feitos (se há uma equipe de ajuda, atualizações para correções de falhas e melhorias de funcionalidades etc.)

Para médias e grandes empresas, que contratam agências para administrar o negócio, além de montar a página da loja e deixá-la pronta para uso, é importante saber que a agência tem o papel de prestar suporte mostrando relatórios de visibilidade, de engajamento, métricas, roadmap de novas funcionalidades e até mesmo corrigindo possíveis falhas e bugs do projeto.

Porém, é importante saber também que o nível de suporte prestado pela agência vai depender do pacote contratado. Antes de contratar a agência, verifique tudo o que ela fornece dentro do valor cobrado e como ela lida com os suportes aos responsáveis pelo seu e-commerce.

Onde encontrar um implementador de e-commerce

Após você levantar quais são as plataformas de e-commerce ideais, que atendem às demandas de negócio da sua empresa, chegou a hora de ir atrás de quem implementa. Nesse levantamento, é muito importante ter em vista outros projetos e lojas virtuais que esse implementador realizou. Procurar identificar projetos similares ao seu, do mesmo nicho que você, pode fazer com que o implementador tenha mais sucesso frente ao desenvolvimento do seu negócio.

Leia também: Transformação digital: como criar um site de vendas e trazer sua empresa para o online

Gostou desse artigo? Não esqueça de avaliá-lo! Quer fazer parte do time de articulistas do portal, tem alguma sugestão ou crítica? Envie um e-mail para redacao@ecommercebrasil.com.br