Plataforma otimiza tempo do segmento, além de oferecer proposta de gestão e benefício flexível

O futuro é pra frente, e o mundo dos recursos humanos não deve ficar pra trás quando o assunto é inovação. Com um mercado de trabalho mais concorrido, o assunto employer branding e benefícios flexíveis estão ligados diretamente com a maior preocupação: retenção de bons talentos. Pensando nisso, as empresas têm se posicionado dia após dia em oferecer uma experiência de qualidade aos colaboradores, buscando soluções que invistam na vida profissional.

Como parte do ecossistema de fintechs do Grupo DB1, formado por empresas de tecnologia brasileiras que atuam América Latina e Estados Unidos, o DUCZ, cartão de benefícios flexíveis chega para o Fórum E-Commerce Brasil 2022 para tratar da importância de oferecer tais soluções ao mercado de varejo, que também lida com o turnover, isto é, a mudança rápida de pessoas no quadro de funcionários.

E hoje em dia, já se sabe que, para ter sucesso no empreendimento, se faz necessário investir em recursos humanos. Os resultados da 4ª edição do Relatório de Tendências de Gestão de Pessoas em 2022, elaborado pela GPTW (Great Place to Work) mostra isso, além de apontar temas prioritários, como o investimento no colaborador e no bem-estar dele dentro da empresa.

O head de produtos da marca, Cledison de Souza Cerqueira, destaca que o DUCZ vem ganhando cada vez mais o mercado por ser uma opção de investimento. “No mercado varejista, assim como o de tecnologia, é importante entender que quem se posiciona a investir na gestão de pessoas, sai à frente no mercado”, completa. Para ele, trata-se de um papel de fidelização.

E por ser uma opção que centraliza vários benefícios em um único cartão, melhorando a experiência do colaborador, o DUCZ se apresenta ao mercado como uma solução para esse cenário.  “Ele facilita o trabalho dos recursos humanos e oferece mais liberdade para os funcionários escolherem onde querem gastar. Isso é dar autonomia e de quebra, uma forma de retenção de colaboradores”, frisa.

Na prática, o DUCZ Benefícios Flexíveis é uma plataforma de gestão que concentra todas as vantagens dentro de um único cartão. Aos colaboradores, o head afirma que o cartão desburocratiza situações que os comuns VAs e VRs apresentam, como perda de até 30% do valor recebido. Além disso, por ser de bandeira Mastercard, é aceito em mais de 2,5 milhões de estabelecimentos comerciais, entre as categorias: GiftDucz, Flex, Home Office, Qualidade de Vida, Refeição, Alimentação, Mobilidade, Cultura e Educação. “O usuário tem livre acesso para utilizar seu saldo entre as categorias, respeitando o percentual mínimo destinado à alimentação, conforme a PAT”, contribui.

Já para o RH, é uma poderosa ferramenta de atração e retenção de talentos, Cledison lembra que a solução resolve uma outra dor já que a empresa pode oferecer um leque de possibilidades e benefícios ao colaborador sem sobrecarregar o RH, já que tudo é centralizado em uma única plataforma ainda conta com treinamento e suporte com índice de humanização em 95%.

 Segurança jurídica 

Alinhado à LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) e certificado às ISO 27001 e ISO 9001, o DUCZ atesta a preocupação com o processamento das informações sem exposição de dados, atestando credibilidade e confiabilidade, por meio da inscrição no PAT (Programa de Alimentação do Trabalhador).

Cledison explica à reportagem que as diretrizes do programa garantem que a utilização do benefício será de forma correta, tanto pela facilitadora quanto pelo estabelecimento comercial. O PAT é assegurado pela Lei 5.452, que regulamenta as leis individuais e coletivas de trabalho.

Além disso, o head lembra que no final do ano passado, por meio da a MP (Medida Provisória) 1.108/2022, o Governo Federal emitiu um decreto, no qual a principal alteração no PAT foi ter acabado com a taxa negativa e a forma de pagamento pós-pago. Com taxa negativa, ele detalha que se trata de uma prática chamada rebate. “E com a mudança, agora as empresas estão proibidas de oferecer a prática em forma de descontos e de prazos de pagamento para os clientes corporativos”, detalha.

A alteração possibilita, então, que as empresas possam partir em busca de benefícios mais flexíveis e vantajosos para os colaboradores. E isso incide diretamente na intenção de atrair e reter talentos com mais facilidade. O cenário também cria mais autonomia na escolha de seus benefícios. “Coisas que o DUCZ já oferece, sem taxa negativa, ou qualquer forma de rebate, e operação no modelo pré-pago. Nós já nascemos adequados”, finaliza Cledison.

Com essas mudanças as empresas precisam se adequar até junho de 2023, para os contratos que já estão em andamento. Os que nascem hoje ou precisam ser renovados nesse meio tempo, já precisam seguir o novo modelo, segundo a MP.