Não é de hoje que o varejo brasileiro atua na inclusão financeira dos consumidores de baixa e média renda. Você deve se lembrar que, até pouco tempo atrás, era comum que consumidores realizassem seus pagamentos através do popular carnezinho.

E em um país com 38,5% da sua população desbancarizada, essa foi uma importante estratégia do varejo para conquistar e fidelizar mais clientes.

Afinal, ao realizar uma venda, é possível entender quais são as soluções que um cliente precisa para adquirir os bens que deseja.

Mas, com o passar do tempo e a chegada da transformação digital, novas tecnologias e produtos foram surgindo, alterando completamente a realidade dos meios de pagamento.

Se antes o popular carnezinho era a principal atração dos varejistas, hoje há uma infinidade de soluções financeiras que prometem facilitar o acesso ao crédito e desburocratizar o setor, indo do crédito à cripto.

Dessa forma, o que era um nicho secundário, hoje adquire maiores proporções e novas tecnologias: os produtos financeiros do varejo.

Então, que tal saber mais sobre as principais tendências de pagamento e como elas irão impactar o varejo?

As finanças e o varejo: como essa parceria evoluiu ao longo do tempo?

Apesar de antigos, os carnês ainda são utilizados como uma forte estratégia, principalmente por grandes varejistas.

Para se ter uma ideia, em 2021, a Casas Bahia  tinha mais de 4 milhões de clientes ativos no crediário, totalizando uma carteira de R $4,7 bilhões.

Mas até esse anacrônico meio de pagamento foi absorvido pela digitalização. Aos poucos, o carnê de papel foi dando lugar ao aplicativo da fintech do grupo.

O método de pagamento também ganhou uma nova roupagem através do Buy Now, Pay Later. Até 2025, a expectativa é que essa modalidade ultrapasse US$ 1 trilhão em volume transacionado por ano ao redor do mundo.

O crescimento do Embedded Finance – inclusão de soluções financeiras no portfólio de empresas  que não fazem parte do segmento – também é uma tendência que promete revolucionar e estreitar ainda mais a relação entre varejo e finanças.

De acordo com dados de levantamento feito pela Juniper Research, há uma expectativa de que o Embedded Finance alcance US $138 bilhões até 2026. Essa perspectiva de alta se dá, especialmente, por conta da disponibilidade de APIs ofertadas por instituições de pagamento ou de serviços financeiros.

Diante desses dados,  é possível entender que ambos evoluíram lado a lado para proporcionar inovações, que podem ir desde meios de pagamento até contas digitais, acesso a crédito e seguros.

Quais são os novos produtos financeiros?

Não há dúvidas de que a pandemia de COVID-19 acelerou o processo de transformação digital, principalmente quando falamos sobre os meios de pagamento.

Por isso, é importante se adaptar às mudanças e entender quais são os novos produtos financeiros e como eles impactam os negócios.

NFC

Um levantamento feito pela Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), os pagamentos por aproximação – com o uso do celular, smartwatches e cartões de crédito – cresceram 474% em 2022, quando comparado ao mesmo período de 2021.

Ao todo, 2 bilhões de transações foram realizadas, representando mais de R$103 bilhões em movimentações. Isso indica que empresas não adaptadas para a tecnologia de Near Field Communication (NFC) podem ficar para trás na fidelização de novos clientes.

Pix e Carteiras Digitais

Um levantamento feito pelo Instituto Locomotiva revelou que pelo menos 20% dos brasileiros entrevistados acreditam que o dinheiro vai desaparecer nos próximos 10 anos.

Por outro lado,  o Pix e as Carteiras Digitais aparecem com adesão de 80% entre os métodos de pagamento que mais serão procurados pelos brasileiros daqui pra frente.

Só as carteiras digitais devem chegar a 4,8 bilhões até 2025. Até o momento, mais de 2,4 bilhões já estão em uso. Já o Pix, apenas em 2021, alcançou 8,7 bilhões de operações e chegou a ultrapassar o cartão de débito e crédito, segundo o Banco Central.

Cashback

Uma excelente opção para retenção e fidelização de clientes, o cashback também aparece como um importante elemento da revolução do universo financeiro, e faturou, em 2021, R $10 bilhões – 50% a mais do que em 2020.

Criptomoedas

Finalmente, chegamos às polêmicas criptomoedas, que alteraram completamente a forma como lidamos com o dinheiro.

Isso porque, com acesso à internet e um smartphone em mãos, qualquer pessoa pode abrir uma carteira digital e começar a utilizá-las, o que facilita as compras a nível global.

Sem as taxas ou burocracias e totalmente descentralizada, essa opção pode vir a garantir mais poder de compra e lucratividade aos negócios, que também vão poder contar com mais velocidade para o recebimento dos valores pagos.

Como as tecnologias da iugu podem escalar o seu negócio?

Como você viu até aqui, a transformação digital e o avanço das tecnologias dos últimos anos impulsionou revoluções no universo financeiro, trazendo disrupção e a necessidade de adaptação frente a uma nova realidade.

E em um ambiente de rápidas mudanças, é preciso buscar soluções inovadoras que ajudem o seu negócio a sair na frente.

Há 10 anos, a iugu ajuda empresas de diferentes segmentos a escalarem os seus negócios. E isso é feito a partir de tecnologias potentes, que desburocratiza o financeiro das empresas, deixando todo o processo automatizado, ágil e muito mais seguro.

Confira as principais soluções da iugu:

API Robusta

Com a iugu, você pode contar com uma API Rest robusta e flexível, que te permite conversar com o nosso sistema , comandar ações, verificar as configurações e realizar as integrações com o seu sistema.

Assim, é possível conversar com outros sistemas sobre pagamentos ou vencimentos e executar procedimentos automáticos, como a emissão de nota fiscal, suspensão de serviço e envio de ações para empresas terceirizadas de cobranças.

Checkout transparente

O checkout tradicional funciona a partir do redirecionamento do cliente para outro, levando-o para outra URL na hora de processar a compra.

O checkout transparente, por sua vez,  mantém o comprador na mesma página. Assim, os consumidores não precisam sair do seu site para finalizar o pagamento, o que reduz a fricção, melhora a experiência do usuário e ainda auxilia na conversão.

Split de pagamentos

Split de pagamentos é um mecanismo que divide um mesmo pagamento entre duas ou mais contas recebedoras. Ele é mais utilizado em negócios que funcionam com comissões ou divisões de pagamentos, como os marketplaces, por exemplo.

Como você deve imaginar, a forma manual de realizar essa conta é burocrática e lenta. Além do tempo perdido, há também o risco de erros e refação de trabalho, que consomem horas preciosas de produtividade.

Por esse motivo, o melhor caminho é automatizar o processo. Dessa forma, logo que o pagamento é processado no sistema, ele já pode ser dividido entre todas as partes recebedoras.

Pronto para levar mais potência ao seu negócio? Baixe gratuitamente o E-book do crédito à cripto, saiba mais sobre a digitalização do consumidor e ganhe insights para bombar as suas vendas!

Leia também: Web 3.0 e o futuro dos pagamentos digitais